sábado, 5 de maio de 2018

Polemizando. O que "tá" acontecendo?








    O que está acontecendo com as protagonistas das histórias? 
  Com o advento do Wattpad e de outras plataformas de escrita, muitas pessoas puderam expor seus escritos e outras tantas se habituaram a ler e a interagir com essas pessoas que escrevem. Com certeza, tais plataformas se transformaram em espaços muito importantes para os novos talentos, afinal há muita gente boa nestas plataformas e histórias  fascinantes, e para quem apenas escreve por hobby.
  Ao mesmo tempo, na outra ponta, a mais alarmante, vimos uma enxurrada de histórias parecidas, uma repetição de temas, um sem-número de quase cópias de fórmulas consagradas, no afã de obter mais leituras e o tal sucesso possível nestas plataformas.
  Tomo o Wattpad como exemplo. Em uma busca rápida, só com a palavra “CEO”, encontramos quase 3.000 histórias que tratam desse tema, trazendo a palavra seja no título do livro, seja nas tags. Basta lembrarmos que antes dos 50 Tons de Cinza, quase ninguém usava esse termo. Se fazemos o mesmo, trocando o descritor para “Vizinho”, a resposta é ainda mais surpreendente, quase 13 mil histórias aparecem. Tudo bem, talvez haja muitos vizinhos cujas histórias valham a pena serem contados. Isso, no entanto, está longe de ser o mais preocupante. 
  O preocupante mesmo é você fazer a pesquisa pela palavra “INCESTO” e encontrar 11 mil histórias, “PEDOFILIA”, outras 1.600 histórias e 6.700 histórias com a tag de “ESTUPRO”.
  Podem me perguntar se há temas que não devem ser tratados. Teoricamente, no Wattpad, pelo menos, alguns desses temas seriam proibidos. Como alguém que lê e que escreve, não vejo temas proibidos, desde que haja responsabilidade na forma como serão tratados. Afinal, podem se tornar uma forma de denúncia diante de muitas coisas que acontecem e, não raro, prestar o serviço a leitoras e leitores que se identifiquem com as agruras ali descritas.
  Mas o papel da literatura não é apenas a diversão? Sim, mas não apenas isso. Caso contrário, não nos identificaríamos com algumas tramas, personagens, etc. Segundo os gregos, pensando no teatro, a função seria provocar a catarse nos expectadores. Ou seja, por meio dos sentimentos experimentados pelos heróis, provocar uma descarga emocional em quem vê, uma purificação. Ou seja, no conforto de nossa posição de expectadores, sãs e salvos,  passarmos por todas as situações e perigos vividos pelos protagonistas.
  Infelizmente, como leitora, não é bem isso o que tenho visto. Os acontecimentos presentes nas tramas, em vez de provocarem a tal descarga emocional, estão me deixando alarmada.
 Não sei realmente o que está acontecendo às protagonistas de muitos livros postados no Wattpad. Pior, não sei o que se passa na cabeça de muitas mulheres (a maioria bem jovem) que estão as escrevendo. São muitas relações abusivas passando por amor, estupros sendo romantizados, assédios moral e sexual sendo confundidos com cortejo amoroso.
  Humilhação nunca foi, nem será, forma de conquistar ninguém. Ter ciúme é normal, mas em excesso não é fofo, é doentio. Ser possessivo não é ser macho alfa, é somente ser inseguro. Forçar alguém a fazer alguma coisa, não é cuidar dessa pessoa. Sexo é bom, natural e está longe de ser um tabu. Porém, não resolve todos as questões da humanidade, nem mesmo os dos protagonistas que, não raro, recorrem a uma transa quente para resolverem todos seus problemas e perdoarem coisas imperdoáveis.
  Então, Lic, você acha que as histórias não devem ter nada disso? 
  Como disse, acho que devem, só não acho justo serem colocadas como coisas normais. Em um país no qual uma mulher é estuprada a cada 11 minutos e que a cada 2 segundos outra é vítima de algum tipo de violência, tudo o que não precisamos é de adolescentes achando que atitudes abusivas sejam sinônimos de romance e que o protagonista, que humilha, mas ama; que é possessivo, que agride e pede desculpas, sempre seja vítima da sociedade, de um trauma ou  de uma família desestrutura.
  Será que as pessoas que escrevem essas histórias, principalmente as mulheres, acreditam mesmo no que escrevem? Se acreditarem, é preocupante.
  Eis muitas coisas para pensarmos...

Lic Nunes


domingo, 11 de dezembro de 2016

Cupido e o poeta

Compartilhar no WhatsappCompartilhar no whatsapp







Lá fora desabava o mundo em água
Cá, a lareira beijava o poeta
Ferindo o firmamento
Numa estranha sinfonia
Trovões berravam impropérios,
Colorindo de noite o dia
Relâmpagos e raios se revezavam
Cada vez mais rápido, vertiginosos cada vez mais

Fraca a batida na porta
Estado de alerta
“Devo estar imaginando.
Quem ousaria tomar uma chuva dessas?”
Nova batida na porta;
Receoso, levanta-se o poeta
E, ao se aproximar,
O vento lhe traz um sussurro:
- Abrigo, por favor!
Como criança, não sou forte
Fui atingido, preciso de ajuda
Pois as gotas me ferem feito chicote

Preocupado
Destrava o coração, abre a porta.
— Espero não ter me enganado!
— Asas ensopadas,
Arco avariado! – defende-se, com os dois
Pequenos pedaços de oceano a fitá-lo.
O poeta hesita, mas não nega o abrigo
Frágil feito cristal
O que esse garoto poderia fazer comigo?

Acolhe o menino, dá-lhe comida
Coloca-o ao pé da lareira
Seca-lhe os cachinhos dourados, as mãos e os pés molhados.
— Estou bem melhor, mas temo que a umidade
Tenha o meu arco danificado.
Será que posso fazer um teste? Talvez esteja enganado

O poeta permite e vê o menino apanhar uma flecha.
Estica a corda do arco e a encaixa nesta.
Puxa e não solta.
Vira-se à busca de uma mira.
Então, aponta na direção de seu anfitrião.
E, sem titubear, acerta-lhe o coração.

— Está perfeito meu arco! — comemora — Não está quebrado.
— Feriu-me! — espantado, exclama o poeta.
— Acalma-te, não hás de perecer deste mal.
Embora, a partir de hoje, esteja condenado.
— E esta queimação, esta angústia?
Falta-me discernimento, sobra-me aflição
— Tenho uma novidade para dividir contigo.
— Tu, Anacreonte, abrigaste ao Cupido.
Tal abatimento talvez cause sofrimento,
Às vezes, um pouco de dor.
Mas não é enfermidade, fraqueza ou demência
É apenas paixão,
É somente amor.


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

O amor vem sem hora marcada,
Encontra-se em  lugares onde não é esperado
Está sempre à espreita, à espera de uma chance
para acontecer.
Sem lógica, sem explicação,
nem receita:
Arbitrário, irresistível, avassalador.

 Acompanhem ELA, uma história de amor. 


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Amores & Rumores




















100   AMORES 
  Sem amores
   Só
    amores
     só Rumores
      De bem querer
       de mal-me-quer

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Cuidado



Ei, cuidado comigo
Tenho a língua afiada
Tenho a verve invocada,
Falando sou um perigo!
Eu te comovo, te venço
Voz ousada ou baixa, jamais na base grito
Do mundo sei nada
Sou sabedor da palavra
E com ela me faço
Com ela te laço
Te prendo, me desembaraço
te congelo
Te levo ao espaço
Te firo, te curo,
Te aumento, te construo
Te reinvento, te diminuo
Ou simplesmente te afirmo

E, afirmando, te seduzo.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Paixão


Ele entrou por sua retina, dobrou a esquina de seu pensamento e alojou-se em seu coração.


Micro Conto

Fez um pedido para se recordar de tudo. Só durou um mês, pois se esqueceu de pagar a promessa.

Fome

Tenha fome de mim,
assim como tenho de você
Para quando estivermos juntos
Juntos possamos desfrutar do banquete!